278

ʺA toque de caixaʺ, Câmara vota terceirização de escolas, creches e unidades de saúde

ʺA toque de caixaʺ, Câmara vota terceirização de escolas, creches e unidades de saúde

Dez dias após começar a tramitar na Câmara Municipal, o projeto do prefeito Rafael Greca (PMN) que permite a terceirização dos serviços de saúde e educação será votado em primeiro turno pelos vereadores nesta segunda-feira (28). O texto revoga um artigo de uma lei municipal de 1997 que impede que Organizações Sociais (OSs) assumam os serviços municipais de saúde e educação.

A justificativa da prefeitura ao propor a alteração é que ela permitirá a prestação do serviço com maior agilidade e eficiência. Tecnicamente, o Executivo explica que é necessário alterar a lei para adequá-la à lei federal que rege as OSs, editada em 1998.

LEIA MAIS:Restrição às OSs na saúde e na educação foi definida em 1997

O porta-voz da mudança é o secretário de Governo, Luiz Fernando Jamur. No curto período em que o projeto tramitou no Legislativo, o prefeito Rafael Greca não fez nenhuma defesa pública da proposta aos vereadores e negou entrevistas à imprensa sobre o tema.

“É público que a União, os estados e os municípios estão passando por dificuldades financeiras. É importante nós termos vários instrumentos de gestão para que possamos, com isso, ampliar o atendimento à população com qualidade e com racionalidade financeira”, explica Jamur.

Um dos principais motivos expostos pela prefeitura é a economia de recursos. “Nos estudos feitos pela prefeitura há uma redução de gastos, uma vez que a própria rede conveniada que temos hoje já pagamos um valor per capita muito mais baixo que pagamos na direta”, afirma Jamur.

O secretário disse que o plano do município é aplicar o novo modelo em unidades que ainda serão inauguradas, não nas que já estão em funcionamento.

“Não é nada em relação às entidades já existentes, às entidades funcionando. Nem sabemos ainda se utilizaremos ou não nas novas unidades, ou se utilizaremos apenas em parte. Isso depende da situação de cada local, de cada região. Não muda nada em relação ao quadro técnico institucional existente na prefeitura”, diz Jamur.

O que poderá ser terceirizado

Em um primeiro momento, a terceirização de serviços deve ser aplicada na área da saúde. Segundo o líder do prefeito na Câmara, vereador Pier Petruzziello (PTB), a urgência na aprovação do projeto se deve ao fato de o prefeito querer abrir o quanto antes a UPA da CIC, que está fechada para reforma desde novembro de 2016 e tinha previsão de ser reaberta até o fim de março.

Posteriormente existe a possibilidade de o modelo ser aplicado também nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs). Curitiba tem hoje 12 CMEIs que foram inaugurados ainda no ano passado, mas que não estão operando por falta de pessoal. Até o fim do ano, seis novas unidades serão abertas e enfrentarão o mesmo problema.

Segundo o secretário de Governo, como a legislação não permite mais a renovação dos convênios com entidades privadas que já atuam na educação infantil, o novo modelo pode ser uma opção para viabilizar a prestação desse serviço.

“Hoje nós temos mais de 50 unidades conveniadas e essas unidades, assim que os convênios forem vencendo, terão que ser licitadas. Então a adequação da lei nos propicia que as Organizações Sociais possam participar dessa licitação também”, explica.

Base e oposição mobilizam especialistas para defender posicionamentos

Setores que apoiam e que criticam a medida têm recorrido a especialistas para fundamentarem suas opiniões. Na última quinta-feira (24), o líder do prefeito na Câmara organizou uma palestra com o advogado Fernando Mânica para explicar os novos modelos de administração e parcerias na área da saúde no Brasil. No evento, o especialista defendeu as parcerias com as OSs e explicou que há mecanismos que permitem a devida fiscalização da prestação dos serviços – umas das principais críticas sobre o modelo.

“Existe um órgão que é o conselho de administração da própria OS, com a participação do poder público. Também deve ser constituída a comissão de avaliação e monitoramento, formada por membros do poder público, servidores da saúde e representantes da população. Na detecção de qualquer irregularidade é dever dessa comissão, sob pena de responsabilidade solidária, encaminhar os apontamentos ao Tribunal de Contas”, explicou.

Já o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (Sismuc), contrário à medida, publicou um texto de autoria do advogado Tarso Cabral Violin, também especialista no assunto, que critica a proposta. Segundo ele, o modelo é menos transparente e mais propenso à corrupção, nepotismo e clientelismo.

“O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo já fez um estudo e comprovou que o modelo gera mais gasto de dinheiro público, menor eficiência, menores salários para os profissionais da saúde e maiores salários para os dirigentes da OSs”, escreveu.

Empresa com fábrica na Região de Curitiba desenvolve enzima capaz de produzir alimentos zero lactose Noticias

Empresa com fábrica na Região de Curitiba dese...

Paranaense derrota 120 mil concorrentes e conquista “emprego dos sonhos” Noticias

Paranaense derrota 120 mil concorrentes e conquista “e...

Brasil envia grão-de-bico para suprir demanda de país vegetariano Noticias

Brasil envia grão-de-bico para suprir demanda de pa&i...

Ex-espiã da CIA inicia vaquinha online para comprar Twitter e expulsar Trump Noticias

Ex-espiã da CIA inicia vaquinha online para comprar T...

Em busca da final da Série D, Operário tenta fazer história para estado do Paraná Noticias

Em busca da final da Série D, Operário tenta f...

Embalado, Atlético enfrenta o Flamengo em série contra rivais desgastados Noticias

Embalado, Atlético enfrenta o Flamengo em séri...

Acidente deixa mortos e interdita Rodovia do Xisto Noticias

Acidente deixa mortos e interdita Rodovia do Xisto...

Ministério Público pede internação de aluno que agrediu professora Noticias

Ministério Público pede internaçã...

Ferrari rara desaparecida por 40 anos é encontrada em galpão Noticias

Ferrari rara desaparecida por 40 anos é encontrada em...

Governo libera PIS/Pasep inativo para 8 mi de brasileiros; maioria terá R$ 750  Noticias

Governo libera PIS/Pasep inativo para 8 mi de brasileiros; m...

Uerj  retoma aulas nesta segunda-feira  Noticias

Uerj retoma aulas nesta segunda-feira ...

Vem aí uma nova crise de segurança alimentar? Noticias

Vem aí uma nova crise de segurança alimentar?...

Nossos amigos!
AniTube Aluguel de Empilhadeiras Filmes Online X Azamerica Filmes Online Grátis Vizer.tv Séries Online Grátis tv online grátis BTv Z Animes Online Baixar Músicas Grátis
Assistir TV Online Grátis

O Assistir TV Online HD ou simplesmente ATO é um dos mais clássicos e tradicionais sites de TV online do pais, desde 2009 com o projeto inicial vertvfree que posteriormente se transformou no ATOHD nós empenhamos cada vez mais para para trazer o melhor conteúdo do segmento televisivo nacional e internacional. As emissoras de TV têm mudado muito no quesito qualidade, seguindo esse aspecto nós estamos focando também na qualidade áudio visual de nossos canais, com novas transmissões de TVONLINE em IPTV (Internet Protocol Television) e também TVIP (Televisão por IP).

Nossos players estão cada vez mais está compatível com diversas plataformas e dispositivos móveis, como (smart TV, smartphones, tablets, aplicativos, mobile, iphone, ipad, android, etc), O ATO Se ajusta a qualquer tamanho de tela responsivamente, seguindo os padrões atuais. Não há requisitos mínimos para o uso do site, todavia quanto maior for a sua velocidade de conexão com a internet, melhor será a qualidade da sua tvonline, aqui listamos em diversas categorias como noticias, esportes, documentários, notícias, séries, filmes, entre outras variedades, sem limitações de uso, compartilhe com seus amigos e familia, aproveite!