126

MPF reabre investigação criminal sobre pedaladas fiscais do governo Dilma

MPF reabre investigação criminal sobre pedaladas fiscais do governo Dilma

A Câmara de Combate à Corrupção do Ministério Público Federal (MPF) determinou nesta quinta-feira (24) a reabertura de investigações criminais sobre as “pedaladas fiscais” do governo da ex-presidente Dilma Rousseff. O caso será agora reencaminhado à Procuradoria da República no Distrito Federal, unidade do MPF que atua na primeira instância, para que um novo procurador da República conduza as apurações.

As pedaladas fiscais consistiram no atraso de repasses do Tesouro Nacional para que bancos públicos e outros órgãos oficiais pagassem obrigações do governo com programas sociais e empréstimos subsidiados. Por conta desses atrasos, as instituições tiveram de honrar as despesas com recursos próprios.

LEIA MAIS: Ruína das contas levou às pedaladas e paralisou a economia

Para o Tribunal de Contas da União (TCU), que reprovou as contas do governo Dilma, e o Congresso, que cassou o mandato da petista, as manobras foram operações de crédito ilegais entre os bancos e seu controlador, a União.

Em julho do ano passado, o procurador Ivan Cláudio Marx concluiu parecer sustentando que as manobras não foram crimes comuns. Por isso, ele entendeu que a investigação sobre o caso no aspecto penal deveria ser parcialmente arquivada. Ele concluiu, no entanto, que houve improbidade administrativa, mantendo a apuração no âmbito cível.

Após o arquivamento parcial, o Procedimento Investigatório Criminal (PIC) que apurava as pedaladas fiscais pelo ex-ministro da Fazenda Guido Mantega e pelo ex-secretário do Tesouro Nacional Arno Augustin foi enviado para apreciação da 12ª Vara Federal do Distrito Federal.

Em análise, a Justiça Federal acolheu o pedido de arquivamento da investigação em relação aos atrasos da União no repasse de valores devidos ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), gerido pela Caixa Econômica Federal, em razão de gastos realizados no âmbito dos programas Minha Casa Minha Vida, Bolsa Família, do Seguro-Desemprego, do Abono Salarial e das taxas decorrentes dessas operações.

No entanto, foi indeferido o pedido de arquivamento em relação aos atrasos nos repasses de valores devidos ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e ao Banco do Brasil em razão da equalização da taxa de juros no âmbito do Plano de Sustentação do Investimento (PSI) e do Plano Safra, respectivamente.

Para a Justiça, as investigações também devem continuar em relação aos atrasos nos repasses de valores devidos aos Estados e ao Distrito Federal, referentes aos “royalties pela exploração de petróleo ou gás natural, de recursos hídricos para fins de geração de energia elétrica e de recursos minerais e do valor do “salário educação”.

O caso foi remetido à 5ª Câmara de Coordenação e Revisão do MPF. “Apreciando a questão, o colegiado não acolheu a promoção de arquivamento formulada pelo procurador oficiante e determinou a devolução do processo à Procuradoria da República no DF para que outro procurador prossiga com a persecução penal”, explicou, em nota a Procuradoria-Geral da República (PGR). O novo responsável pelas investigações ainda não está definido.

“Estudo” da Urbs sobre integração temporal é documento de quatro páginas Noticias

“Estudo” da Urbs sobre integração ...

Maggi operou pagamento de “mensalinho” a deputados do Mato Grosso, acusa delator Noticias

Maggi operou pagamento de “mensalinho” a deputad...

Passageiro de estação-tubo não vai pagar passagem para ir ao Sacolão Noticias

Passageiro de estação-tubo não vai paga...

Primeiro grande avião  chinês é símbolo do “Made in China 2025 Noticias

Primeiro grande avião chinês é sí...

Políticos “se lixam” para a sociedade Noticias

Políticos “se lixam” para a sociedade...

Estilo Maracanã: conheça as mudanças que o Coritiba projeta para o Couto Pereira Noticias

Estilo Maracanã: conheça as mudanças qu...

Primeiras impressões do Galaxy Note 8 Noticias

Primeiras impressões do Galaxy Note 8...

Homem morre esmagado por elevador em Curitiba Noticias

Homem morre esmagado por elevador em Curitiba...

Trump estuda reduzir ou acabar com programas de intercâmbio profissional Noticias

Trump estuda reduzir ou acabar com programas de intercâ...

Governo libera PIS/Pasep inativo para 8 mi de brasileiros; maioria terá R$ 750  Noticias

Governo libera PIS/Pasep inativo para 8 mi de brasileiros; m...

Três paranaenses disputam “emprego dos sonhos” com salário de R$ 100 mil por ano Noticias

Três paranaenses disputam “emprego dos sonhos&rd...

As três empresas que a Amazon pode comprar para se expandir no Brasil Noticias

As três empresas que a Amazon pode comprar para se exp...

Nossos amigos!
AniTube Super Animes Filmes Online X Azamerica Filmes Online Grátis Vizer.tv Séries Online Grátis BTv Z Animes Online Baixar Músicas Grátis
Assistir TV Online Grátis

O Assistir TV Online HD ou simplesmente ATO é um dos mais clássicos e tradicionais sites de TV online do pais, desde 2009 com o projeto inicial vertvfree que posteriormente se transformou no ATOHD nós empenhamos cada vez mais para para trazer o melhor conteúdo do segmento televisivo nacional e internacional. As emissoras de TV têm mudado muito no quesito qualidade, seguindo esse aspecto nós estamos focando também na qualidade áudio visual de nossos canais, com novas transmissões de TVONLINE em IPTV (Internet Protocol Television) e também TVIP (Televisão por IP).

Nossos players estão cada vez mais está compatível com diversas plataformas e dispositivos móveis, como (smart TV, smartphones, tablets, aplicativos, mobile, iphone, ipad, android, etc), O ATO Se ajusta a qualquer tamanho de tela responsivamente, seguindo os padrões atuais. Não há requisitos mínimos para o uso do site, todavia quanto maior for a sua velocidade de conexão com a internet, melhor será a qualidade da sua tvonline, aqui listamos em diversas categorias como noticias, esportes, documentários, notícias, séries, filmes, entre outras variedades, sem limitações de uso, compartilhe com seus amigos e familia, aproveite!